Páginas

domingo, 18 de junho de 2017

Busou Shoujo Machiavellism - Episódio 11


Sentimentos destrutivos!


No episódio anterior: Fudou quase se ferrou ao abordar Tsukuyo e ser surpreendido com suas técnicas de Iaijutsu. Mesmo sendo cega, a baixinha percebeu que Fudou usa posturas relacionadas ao seu estilo de luta com espadas, mas Fudou a deixou falando sozinha ao perceber a confusão no terraço da escola. Enquanto isso, a Imperatriz continuava seu massacre, quase arrancando os olhos de Warabi após derrotar suas subordinadas. Fudou chegou tarde para ajudar, mas a diretora da escola surgiu para prestar socorro para as vítimas, e incumbiu Fudou da missão de derrotar a Imperatriz. Oni e Mary mais suas respectivas subordinadas encararam a Imperatriz, mas Tsukuyo interviu e conseguiu até ferir a monstruosa adversária. Porém, a espada frágil de Tsukuyo não tem capacidade para um segundo golpe, e é nesse momento que Fudou faz sua entrada heroica para encarar sua inimiga mortal...

É Fudou, tu foi dar corda pra garota, agora aguenta a obsessão...

 Logo vi que teria alguma história antes da luta hehehe. Mas essa história é importante, pois até agora a gente só sabia que Fudou e a Imperatriz tiveram uma treta na escola anterior, mais nada. A história mostrou que não foi apenas uma luta, eles chegaram a ter uma amizade, que a Imperatriz arruinou por ser muito possessiva e ciumenta, não deixando ninguém mais ter a atenção do "seu" Fudou. Essas cenas do passado reforçam minha teoria de que a Imperatriz está atacando as garotas da escola porque elas se aproximaram do Fudou.

 Engraçado é o Fudou jurando que tá desmoralizando o "cara" tirando ele pra frutinha hehehe. Mal sabia ele que aquele rosto bonito é de uma verdadeira garota...

 Coitadinha  da Tsukuyo, ela só que fazer amigos como qualquer criança, mas ela precisa manter sua imagem de poderosa. Quem sabe as frases inspiradoras do Fudou fazem ela mudar um pouco, como ele já fez as outras mudarem.

Fudou recebendo uns bons incentivos!

 A Imperatriz parece ser uma garota bem desequilibrada mesmo. As falas dela dão a entender que pra ela as coisas que ela está fazendo não são erradas, que o Fudou é dela e ela tem o direito de manter só pra ela, como se fosse certo ferir qualquer um que se aproxime de sua propriedade. Quando o Fudou se mostrou contra esses pensamentos, dizendo na cara dela que ele é livre para fazer o que bem entender, a Imperatriz fez uma expressão assustadora, dava pra ver que ela estava triste e ao mesmo tempo com ódio, com uma expressão que aparentava desespero de perder o objeto de sua obsessão. Foi minha cena favorita do episódio, pois eu não esperava que uma série com uma proposta simples fosse mergulhar no psicológico de uma personagem dessa forma.
 Aliás, esse episódio foi o que melhor trabalhou os personagens psicologicamente. O Fudou com medo da derrota também foi uma grata surpresa, algo bem diferente do Fudou confiante e malandro que vimos até agora. Acho que isso prova como o Fudou e a Imperatriz são personagens que funcionam muito bem juntos, cara a cara eles mostram ser muito mais expressivos do que parecem. E a galera da produção conseguiu trabalhar bem nisso, algo que me deixou bem contente, pois após aquele desenvolvimento bem pobre da Satori e a Misogi fiquei preocupado que a luta final poderia acabar sendo mal desenvolvida também, e acabar parecendo vazia. Mas estão conseguindo fazer algo legal, e no meio disso conseguiram até dar um espaço legal para a Oni interagir com o Fudou!

Ah, mesmo assim eu gosto de você...

 Não esperava que o Fudou fosse repetir o truque da revista hehehe! Mas o trouxa não devia ter revelado no ato, devia ter deixado ali até o final da luta sem dizer nada, vai que a revista segurava mais um golpe...

 A técnica de bloqueio da Imperatriz me lembrou o treinamento do Sr.Miyagi! Claro que a versão dela é mais perigosa pois corta o oponente enquanto bloqueia, mas o movimento é o mesmo de "encerar o carro" hehehe.

 Pena que as malandragens do Fudou não funcionam mais, a Imperatriz tá ligada nas trapaças hehehe. O safado foi salvo pela Tsukuyo, pois o chute da Imperatriz partiu o casaco dele como se fosse manteiga, se pegasse ele em cheio já era. E pensar que o Fudou levou sermão da Tsukuyo... É engraçado ver o delinquente levando sermão de criança!
 Nossa, pensei que o Fudou ia usar a técnica de ficar peladão novamente! Talvez a dica da Tsukuyo seja o Fudou quebrar a lâmina da Imperatriz com sua Bala Espiritual.

Fudou não quer perder suas gatinhas!

 Deu certa pena da Imperatriz quando ela fez aquela expressão triste no final. Ela só quer ter para ela o cara que significou algo em sua vida, mas sua compulsão obsessiva e complexo de superioridade não permitem que ela tenha uma amizade ou relacionamento amoroso normal. Ela é doente, seus sentimentos são destrutivos para ela e para todos ao seu redor, e acho que a única coisa que pode cura-la é uma derrota. Talvez quando ela sentir o gosto de uma derrota pela primeira vez ela perceba que força e vitória não dão o direito de controlar os outros.

 Quem diria que uma série com premissa de comédia bizarra teria momentos de sentimentos profundos? Não que seja algo muito complexo, afinal ainda é shonen, tanto que a boa e velha motivação da amizade está presente. Mas esse lado psicológico da Imperatriz traz algo um pouco diferente para a fórmula, deixando a série ainda mais interessante e elaborada, mas usando isso sem a complexidade de uma série psicológica que poderia acabar deixando tudo meio cansativo. Está na dose certa!
 Muito curioso pra ver como essa história vai terminar! Será que o Fudou vai conseguir salvar a Imperatriz, ou ela vai pirar ainda mais? Pior que qualquer um dos resultados pode ser interessante!

 Até o próximo, e último, episódio de Busou Shoujo!

2 comentários:

  1. A coisa engatou desta vez! A Imperatriz era mesmo fissurada no Fudou! E pior. Ela é hiper possessiva! Não deixa nem que homens cheguem perto do objeto de seu desejo (aquele era um menino... certo?).

    Essa leitura de expressões foi um bom ponto a ser levantado. De fato a equipe de arte conseguiu mostrar bem o aspecto doente da Imperatriz. De certa forma ela cumpriu a promessa da Satori, mostrando uma ameaça cheia de insanidade, com moral deturpada. E acho que a parte da Satori e da Misogi só não foi bem desenvolvida por falta de tempo mesmo. Tenho que ver o mangá para saber se isso foi mais explorado.

    Fudou agora não pode mais contar com trapaças ou artimanhas. É tudo ou nada. Fudou finalmente encontrou alguma coisa para proteger e ele vai fazer isso. Quem vence é a espada ou a bala? Um experimento mostrou que uma espada japonesa consegue cortar uma bala, então o Fudou vai ter bastante trabalho.

    É mesmo! O truque de encerar carro do Sr. Miyagi! No caso dela virou uma lixadeira ou uma motosserra de ataque e defesa ao mesmo tempo. Superou o Karate Kid!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Usys!

      Imagina ter a Imperatriz de namorada, se você falar oi para a caixa do supermercado ela já mata a garota hehehe! Se não me engano no começo tinham falado que o Fudou vinha de uma escola masculina, então acho que era um menino sim. A não ser que fosse uma garota disfarçada, fazendo igual a Imperatriz!

      Pois é, no fim ela que parecia tão controlada é a mais desequilibrada, bem mais que a Satori hehehe. Também acredito que a falta de desenvolvimento seja coisa do anime. Dá pra ver que estão desenvolvendo bem essa história da Imperatriz, coisa que não seria possível se tivessem usado um episódio inteiro para desenvolver as irmãs.

      Fudou tá na desvantagem, vai ter que improvisar. Talvez se ele conseguir misturar alguma técnica de espada com sua bala espiritual consiga um bom resultado, mas vamos ver se ele nos surpreende com algo bem diferente hehehe.

      Essas técnicas perigosas o Sr. Miyagi não ensinou o Daniel-san, ainda falta muito pare o garoto chegar no nível da Imperatriz hehehe.

      Abração!

      Excluir